5 coisas que você precisa saber sobre a comunhão dos santos

5 coisas que você precisa saber sobre a comunhão dos santos

Dia 1º de novembro, no Ocidente, é comemorada a Solenidade de Todos os Santos, no qual recordamos o chamado primeiro de todos os fiéis batizados à santidade. Além disso, a Igreja ainda nos convida a louvar a Deus por tantos homens e mulheres que viveram uma vida santa, ainda que no anonimato. Tudo isso faz parte de uma verdade de fé professada pelo catolicismo: a comunhão dos santos.  Por ela, acreditamos que somos membros do corpo de Cristo e estamos unidos não só aos irmãos da terra, mas aos que já partiram desta vida e comungam da visão beatífica de Deus.

Elencamos 5 coisas indispensáveis que você precisa conhecer sobre a comunhão dos santos.

1. A comunhão dos santos é precisamente a Igreja

Quando entendemos a Igreja como o Corpo Místico de Cristo, fica clara a compreensão  de que a comunhão dos santos é a própria Igreja. Segundo São Tomás de Aquino, “uma vez que todos os crentes formam um só corpo, o bem de um é comunicado aos outros”, portanto somos unidos pelo mesmo Espírito que nos faz um só, o que nos garante a partilha dos bens que nos faz irmãos.

2. Somos alimentados pelos bens espirituais dos nossos irmãos

Como irmãos, comungamos da mesma fé em Deus e na Igreja, desse modo vivenciamos também a comunhão dos sacramentos, dos dons e da caridade. É possível vivermos uma partilha de graças espirituais, assim como das ações de amor e misericórdia no cotidiano. Assim como no corpo humano, todos os membros recebem benefícios pelas ações uns dos outros, o corpo espiritual é similar.

3. Estamos unidos à Igreja do céu

A comunhão que falamos não se restringe à dimensão temporal. A Igreja fundada pelo Verbo de Deus perpassa a realidade terrestre e é uma realidade que alcança três estados: a Igreja militante, a Igreja triunfante e a Igreja padecente. Nós que caminhamos sobre esta terra, compomos a Igreja Militante, que é fortalecida e ao mesmo tempo se torna sinal da Igreja do céu, que triunfa gloriosa diante do Cordeiro. A Igreja padecente compreende aqueles que já partiram desta vida, porém estão em purificação no purgatório, e são beneficiados pela nossa oração e penitência.     

4. Nossa oração chega ao coração dos irmãos falecidos

A existência do purgatório é reforçada pelos Padres da Igreja, assim como nossa intercessão pelo sufrágio dessas almas, “porque é um pensamento santo e salutar rezar pelos mortos, para que sejam livres de seus pecados” (2 Mac 12, 46). Portanto, vale redobrar-se em preces que alcançam os irmãos falecidos.

5. Participamos da única família de Deus

“Todos os que somos filhos de Deus e formamos em Cristo uma família, ao comunicarmos uns com os outros na caridade mútua e no comum louvor da Santíssima Trindade, correspondemos à íntima vocação da Igreja” (Catecismo da Igreja Católica 522). Não podemos nos esquecer da grandeza desse chamado, e unidos a todos os santos somos convidados a celebrar a vontade de Deus para nós.

No Brasil, a solenidade de todos os santos é celebrada no domingo após o dia 1º de  novembro.